BLOG DO LÍNGUA
 
 
Página Inicial
Apresentação
Discografia
Trajetória
Disk-Língua
Família Trapo
Vídeos
Rádio Matraca
Agenda
Cont(r)atos
Cadastro


Blog
Fotoblog

Busca no Blog
 

Indique este blog
Dê uma nota

Links
Língua de Trapo
Fotoblog do Língua
Castelorama
Privadas do Mundo
Mini Blog do Big Mug
Nunca se Sábado
Rádio Matraca
Dadá Coelho
Blog do Pituco
Música & Letras
Blog genérico
Miss Grace Black
Blog do Castilho
Folha de Cima
Guca
Peças Raras
Stockadas
Cifras de músicas do Língua de Trapo
Língua de Trapo no Palco MP3
Radioriatoa - pituco
PENSAMENTOS DIVERGENTES - Ruy Fernando Barboza
A Hora do CLICK
Ana de Amsterdam

Arquivos
16/07/2011 a 31/07/2011
01/05/2011 a 15/05/2011
01/03/2011 a 15/03/2011
01/02/2011 a 15/02/2011
16/01/2011 a 31/01/2011
16/12/2010 a 31/12/2010
01/12/2010 a 15/12/2010
16/11/2010 a 30/11/2010
01/11/2010 a 15/11/2010
16/10/2010 a 31/10/2010
01/10/2010 a 15/10/2010
16/09/2010 a 30/09/2010
01/09/2010 a 15/09/2010
16/08/2010 a 31/08/2010
01/08/2010 a 15/08/2010
16/07/2010 a 31/07/2010
16/06/2010 a 30/06/2010
01/06/2010 a 15/06/2010
16/05/2010 a 31/05/2010
01/05/2010 a 15/05/2010
16/04/2010 a 30/04/2010
01/04/2010 a 15/04/2010
16/03/2010 a 31/03/2010
01/03/2010 a 15/03/2010
16/02/2010 a 28/02/2010
01/02/2010 a 15/02/2010
16/01/2010 a 31/01/2010
01/01/2010 a 15/01/2010
16/12/2009 a 31/12/2009
01/12/2009 a 15/12/2009
16/11/2009 a 30/11/2009
01/11/2009 a 15/11/2009
16/10/2009 a 31/10/2009
01/10/2009 a 15/10/2009
16/09/2009 a 30/09/2009
01/09/2009 a 15/09/2009
16/08/2009 a 31/08/2009
01/08/2009 a 15/08/2009
16/07/2009 a 31/07/2009
01/07/2009 a 15/07/2009
16/06/2009 a 30/06/2009
01/06/2009 a 15/06/2009
16/05/2009 a 31/05/2009
01/05/2009 a 15/05/2009
16/04/2009 a 30/04/2009
01/04/2009 a 15/04/2009
16/03/2009 a 31/03/2009
01/03/2009 a 15/03/2009
16/02/2009 a 28/02/2009
01/02/2009 a 15/02/2009
16/01/2009 a 31/01/2009
01/01/2009 a 15/01/2009
16/12/2008 a 31/12/2008
01/12/2008 a 15/12/2008
16/11/2008 a 30/11/2008
01/11/2008 a 15/11/2008
16/10/2008 a 31/10/2008
01/10/2008 a 15/10/2008
16/09/2008 a 30/09/2008
01/09/2008 a 15/09/2008
16/08/2008 a 31/08/2008
01/08/2008 a 15/08/2008
16/07/2008 a 31/07/2008
01/07/2008 a 15/07/2008
16/06/2008 a 30/06/2008
01/06/2008 a 15/06/2008
16/05/2008 a 31/05/2008
01/05/2008 a 15/05/2008
16/04/2008 a 30/04/2008
01/04/2008 a 15/04/2008
16/03/2008 a 31/03/2008
01/03/2008 a 15/03/2008
16/02/2008 a 29/02/2008
01/02/2008 a 15/02/2008
16/01/2008 a 31/01/2008
01/01/2008 a 15/01/2008
16/12/2007 a 31/12/2007
01/12/2007 a 15/12/2007
16/11/2007 a 30/11/2007
01/11/2007 a 15/11/2007
16/10/2007 a 31/10/2007
01/10/2007 a 15/10/2007
16/09/2007 a 30/09/2007
01/09/2007 a 15/09/2007
16/08/2007 a 31/08/2007
01/08/2007 a 15/08/2007
16/07/2007 a 31/07/2007
01/07/2007 a 15/07/2007
16/06/2007 a 30/06/2007
01/06/2007 a 15/06/2007
16/05/2007 a 31/05/2007
01/05/2007 a 15/05/2007
16/04/2007 a 30/04/2007
01/04/2007 a 15/04/2007
16/03/2007 a 31/03/2007
01/03/2007 a 15/03/2007
16/02/2007 a 28/02/2007
01/02/2007 a 15/02/2007
16/01/2007 a 31/01/2007
01/01/2007 a 15/01/2007
16/12/2006 a 31/12/2006
01/12/2006 a 15/12/2006
16/11/2006 a 30/11/2006
01/11/2006 a 15/11/2006
16/10/2006 a 31/10/2006
01/10/2006 a 15/10/2006
16/09/2006 a 30/09/2006
01/09/2006 a 15/09/2006
16/08/2006 a 31/08/2006
01/08/2006 a 15/08/2006
16/07/2006 a 31/07/2006
01/07/2006 a 15/07/2006
16/06/2006 a 30/06/2006
01/06/2006 a 15/06/2006
16/05/2006 a 31/05/2006
01/05/2006 a 15/05/2006
16/04/2006 a 30/04/2006
01/04/2006 a 15/04/2006
16/03/2006 a 31/03/2006
01/03/2006 a 15/03/2006
16/02/2006 a 28/02/2006
01/02/2006 a 15/02/2006
16/01/2006 a 31/01/2006


XML/RSS Feed
O que é isto?

leia este blog
no seu celular




UOL Blog





layout do blog
produzido por REC
 

Estômago

Eu não engulo o Kassab
Nem como coalhada
Nem como kebab

Eu não engulo o Kassab
Nem como sushi
Nem como wasabi

Eu não engulo o Kassab
Se quiser comer
É você que sabe


Escrito por C. Castelo às 10h34
[] [envie esta mensagem
]



Som animal

Há alguns dias, Frank Japa postou uma versão bossanovística de elevador de I want to hold your hand, dos The Beatles.

 

Bacana. Mas eu acho que essa aqui tem mais a cara do Língua de Trapo...

 

The Rebels – O Bode e a Cabra 

O bode saiu com a cabra
Os dois andavam à pé
O bode pisou na cabra
A cabra gritou bé (3x)
A cabra estremecida
Com tanta dor no pé
O bode arrependido
Pediu desculpas, bé (3x)
A cabra então se contorcia de dor no pé
Pois não havia o que curasse
O seu pé, o seu pé, o seu pé
O bode foi tomar banho porém não dava a pé
A cabra toda assustada tornou a gritar bé, tornou a gritar bé,
tornou a gritar bé

O bode então não se arriscou
Deu marcha à ré
A cabra se entusiasmou
Deram no pé, deram no pé, deram no pé

E agora 'cabou-se a história Contem pra quem quiser
O bode beijou a cabra
Sarou a dor no pé
Sarou a dor no pé
Sarou a dor no pé
Sarou a dor no pé

 



Escrito por Laert Sarrumor às 16h03
[] [envie esta mensagem
]



música,eventos e despedidas...

amanhã,dia 11 de outubro,participarei do I festival de bossa nova,que acontece no bairro de aoyama,aqui em tokyo.

o evento tem uma programação bem bacanuda,com músicos japoneses e brasileiros residentes...todos envolvidos com esse estilo musical.

eu toco com o contrabaxista ricardo sagioratto(vulgo azeitona) e o kuroda-san(cotado como o único baterista brasileiro,no japão...rs).

nossa apresentação será no hall do prédio da gravadora japonesa avex (cujo chairman é o famoso produtor komuro tetsuya-san),com início previsto para às 13h00...outros palcos,espalhados pela avenida principal de aoyama,abrigam os demais grupos e artistas.

vale lembrar que quando aportei no japão,em 1990,o bairro sofisticado de aoyama foi minha primeira morada.
ali,toquei durante seis meses no restaurante brasileiro, praça onze...na época o praça junto com o saci pererê (primeira casa brasileira em tokyo) eram as únicas opções...havia também o samba páteo,em roppongi,mas o show ali era com mulatas trazidas do brasil e danças folclóricas.

a apresentação com o trio,amanhã,marca também minha última performance com o azeitona...ele está de partida pro brasil, após sobreviver,quase duas décadas por aqui,como o 'gaijin solitário de chigasaki'(cidade onde mora,na província de kanagawa).

de lá,com o término marcado para ás 16h00,partimos pro midtown roppongi,onde a gig é uma espécie de despedida do amigo de tantos projetos musicais(estórias infantis pra tevê estatal nhk/o sexteto extra acoustic/ e mais,recentemente,o cd com canções inéditas em parceria com o Castelo,bossa'n humor)...e longos papos,nas madrugadas toquianas,regados com cerveja(ele),café(eu),estórias  e muito bom humor.

do bota fora,caio fora à jato,pro meu cantinho e ganha-pão rotineiro,em shibuya,bairro vizinho.

dia 12,repito a dose,só que em apresentação solo (violão e voz).

segue link website do festival...
http://bossa2008.jp/

registro meu agradecimento ao marco mancini,graphic designer,ex-diretor de arte do jornal brasileiro tudo bem(eu escrevia uma coluna semanal - a picada do mosquito)e revista made in japan,além de ter editado uma publicação especializada em jazz (sua paixão) jazzy'n.
mancini agrega o grupo responsável pelo evento.

segue link website do agitador cultural...
www.magnetjazz.net

abraçsonoros e amplificados
namaste


Escrito por Pituco às 12h17
[] [envie esta mensagem
]



Loucos por éter

 

Marcelo Abud é uma “peça rara”!

 

Apaixonado por rádio, assim como este Sarrumor, publica o blog e o podcast Peças Raras, resgatando momentos marcantes do rádio e informando sobre programas e eventos.

 

Hoje, por exemplo, no blog, o destaque é o programa Rádio Matraca, de aniversário de seis meses – gravado no teatro Lira Paulistana, em setembro de 1985, com platéia e apresentações ao vivo de artistas como Tom Zé, Paulo Barnabé, Ulisses Rocha e a banda Inocentes – e que será reapresentado no próximo sábado, comemorando o aniversário de de 31 anos da Rádio USP.

 

É desse programa a antológica interpretação de Tetê Espíndola para a música Rosa, de Pixinguinha, acompanhada pelo Duo Fel, que pode ser ouvida no boletim sobre a Rádio Matraca, no podcast Peças Raras.

 

No blog, os aficionados por rádio ficam sabendo de notícias alvissareiras, como a volta da Excelsior, a Máquina do Som, de Antonio Celso, em formato de radioweb.

 

Sintonize!


Escrito por Laert Sarrumor às 12h00
[] [envie esta mensagem
]



Circo moderno

Última semana para assistir ao espetáculo Universo Umbigo, com o Karnak e o grupo Teatro Circo Fractais, no teatro do Colégio Santa Cruz.

Confira a matéria na Veja e assista a vídeo aqui.

Eu recomendo!



Escrito por Laert Sarrumor às 14h21
[] [envie esta mensagem
]



Haja saco!

Deu no G1

Chef lança livro só com receitas de testículos

 o chef sérvio Ljubomir Erovicacaba de lançar um livro de receitas com pratos preparados apenas com o ingrediente pouco usual: o órgão reprodutivo de bois, cavalos, búfalos, touros, porcos e até mesmo perus. Batizado de "The Testicle Cookbook: Cooking with Balls" (em uma tradução livre, algo como "O livro de receita dos testículos: cozinhando com colhões"), o livro reúne receitas coletadas por Erovic nos últimos 20 anos.

Pela primeira vez o chef vai ficar feliz de saber que o degustante está de "saco cheio" da comida!



Escrito por Lizoel às 16h46
[] [envie esta mensagem
]



Doces perdas

Vindo de uma dor particular – minha querida sogrinha faleceu na segunda; ontem foi o sepultamento,com toda aquela comoção, típica dessas ocasiões – chego em casa e me deparo com outra dor, mais geral.

 

Dezenas de mensagens, comentando e lamentando a perda do grande músico (sem trocadilho) Gigante Brazil.

 

De Ricardo Petráglia a Zé Rodrix, passando por Egídio Conde, Ricardo Corte Real e até Antonio Checchin, o “Leivinha”, promotor dos lendários festivais de Iacanga, muitos foram os que se manifestaram, numa ciranda de emails.

 

De todos, escolhi reproduzir o texto do músico e jornalista Luiz Chagas, companheiro de Gigante na banda Isca, de Itamar Assumpção, publicado no site o lado B da notícia.

 

Ele não era gigante porque era grande

O cara não era Gigante porque era grande. Era gigante. Mesmo

Em 1983, quando substituiu Osmar Santos no programa Balancê transmitido pela Rádio Globo, Fausto Silva vivia convidando a banda Isca de Polícia, de Itamar Assumpção, para divulgar seus shows. Tanto o apresentador quanto o lendário sonoplasta Johnny Black eram apaixonados pelo baterista Gigante e seus solos de "buchesom" - que criava batendo a ponta dos dedos nas bochechas e usando a boca para modular os sons (foto abaixo). Faustão criou um bordão,"o Gigante não tem esse nome porque é grande. Mas porque é gigante".

Jorge Luiz de Souza, o Gigante Brazil, é carioca da Mangueira, onde nasceu no dia 25 de abril de 1952. Ele jura que viu o "Mineirinho", o bandido que virou uma espécie de Robin Hood, seqüestrar caminhão de leite e distribuir para a molecada na favela. Chegou em São Paulo acompanhando Jorge Mautner e logo estava tocando percussão na banda Sindicato. Mesmo ao lado do baterista Edu Rocha, do contrabaixista Zé Português, do guitarrista Tadeu Passarelli e de outras feras, era impossível desviar os olhos daquele cara. Ele tocava com o corpo, os braços pareciam asas, cantava num grave que parecia vir de outra dimensão, entrava em transe e arrastava o palco e o público junto. No dia em que entrou na banda Isca eu falei "cara, eu sou seu fã" e ele com os dentões separados lascou "pára com isso, tio" - para ele os homens eram tios ou compadres, as mulheres comadres ou princesas. Eu e a torcida do Flamengo (ainda é a maior?) somos fãs. Quando entrei no camarim da Marisa Monte no ano passado alguém falou que eu tinha tocado com o Giga e ela - ai meu Deus, Ela! - largou todo mundo e veio me abraçar. "Ensaboa, mulata ensaboa" os dois cantaram juntos um dia.

Na segunda-feira, o dia em que o Giga não acordou, na porta do ateliê da Renata, sua mulher, o povinho da Vila Madalena se detinha embasbacado. Amoladores de faca, barbeiros, tomadores de conta de carro, gente que fica na rua. "O Gigante morreu?" O cara andava pelo bairro e todo mundo o conhecia. Todos os músicos que apareceram ali ou no velório, mesmo sem se conhecer, entoavam um monótono "eu toquei com o Gigante, e não tem igual". Os instrumentistas que dividiam com ele a "missa" das terças em Moema, apelido para a apresentação com várias entradas e que ia até de manhã, discutiam quem seria seu substituto - porque a "missa" tem que ter. Chegaram à conclusão que podia ser "qualquer um, já que ninguém, mas ninguém mesmo, toca igual". De fato. Seja em qual for a formação que participou, Gang 90, os derradeiros shows com Celso Sim, as Orquídeas, Ceumar, Alzira Espíndola, Bocato, a "norinha" Simone Sou, o parceiro Paulo Lepetit, com quem criou seu único (melhor?) trabalho solo Música Branca Preta e e etc. (Elo Music), o que se ouve é um mantra: "Não tem igual, tocar com ele é um luxo".

Uma de suas características era tirar som de qualquer coisa. Copos de metal, baldes, batentes de porta que levava para o palco. Como dizia Lepetit quando lhe pediam o mapa de palco, "qual o kit de bateria do Gigante? Ah, o que tiver".

O cara não era Gigante porque era grande. Era gigante. Mesmo. Gigante Brazil.

 

Luiz Chagas, 56 anos, tocou durante 27 com Gigante e não tem nenhuma reclamação. Só alegria.

 

 

Gigante fazendo o “buchesom”

 

Itamar Assumpção e Banda Isca – Embalo

 



Escrito por Laert Sarrumor às 20h25
[] [envie esta mensagem
]



[ Ver arquivos anteriores ]